Nossa História, Nossa Luta

1987 - 1988

No ano de 1987, alguns trabalhadores do Pastifício Fio de Ouro de Criciúma/SC, articulam a fundação da associação dos trabalhadores nas indústrias da alimentação. Foram descobertos (ou dedados). Em março de 1988, funcionários do setor de desossa do Frigorífico Sul Catarinense (FRISULCA), de Forquilhinha-SC, paralisam suas atividades por melhores salários. Sem associação, sem sindicato, sem organização, a greve fracassa. Aquela derrota serviria dali a alguns meses, para dar a volta por cima, afinal reuniões começaram a ser articuladas para a fundação do sindicato de classe, com ajuda de companheiros da CUT de Criciúma, entre eles Joel Correa, Laércio Silva, Newton Lourenço Junior e outros.

No dia 24 de abril de 1988, de acordo com a Ata, 107 trabalhadores do setor da alimentação da região, reunidos no clube do Ideal Esporte Clube, de Forquilhinha fundam a associação e elegem a primeira diretoria. No dia 21 de agosto do mesmo ano, acontece nova assembléia, agora com 150 trabalhadores. Reunidos no ginásio de esportes do IDEAL de Forquilhinha, eles decidiram pela entrada da “Investidura Sindical” que reivindicava junto ao Ministério do Trabalho a autorização denominada “Carta Sindical”. Toda documentação deu entrada no Ministério do Trabalho, em Brasília no dia 13 de outubro de 1988.

Em 10 de agosto de 1988, é aprovada a nova Constituição Brasileira que muda a atuação na regra da organização sindical. No seu artigo 8º, está escrito que a liberdade de associação profissional ou sindical passou a existir, e que o estado não poderia mais interferir nesta área.

1989

Quase um ano depois, a data histórica para os trabalhadores da alimentação, afinal no inesquecível 19 de agosto de 1989, a luz da nova Constituição, foi realizada assembléia no Ideal E.C. de Forquilhinha com 155 trabalhadores presentes, e por unanimidade decidiram pela transformação da associação em sindicato e em seguida foi eleita a primeira diretoria tendo como presidente Arlindo Buss, com mandato de um ano. E permanecendo, dois mandatos como presidente.

  • Sub-Sede de Nova VenezaSub-Sede de Nova Veneza
  • Sub-Sede de ForquilinhaSub-Sede de Forquilinha

1994

Em 1994 o sindicato filia-se a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a CONTAC (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Alimentação). Por discordância política na condução do sindicato, no ano de 1996 racha a diretoria. São inscritas duas chapas para disputar o comando do sindicato, Chapa 1, tendo como presidente Arlindo Buss e a Chapa 2, encabeçada pelo companheiro Jamilto Colonetti e a maioria dos antigos diretores. Vence a Chapa 2, e começa a categoria a ter um SINDICATO atuante e presente junto aos trabalhadores.

1999

Através de eleição em 1999 muda novamente a presidência, e com a chapa única, Célio Alves Elias junto com seus companheiros seguem em frente na defesa dos direitos e conquistas para a categoria. O sindicato tinha em torno de 1400 sócios. Esse mandato que vai até o ano de 2002, é marcado por uma grande luta em defesa da saúde dos trabalhadores. Vários seminários são realizados e se trava grandes batalhas com a classe empresarial para reconhecer as doenças, como ocupacionais. Através de grandes assembléias começam a ser garantidos o reconhecimento das lesões por esforços repetitivos nas Convenções Coletivas de Trabalho. O Sindicato começa a ter uma participação mais ativa nas lutas dos trabalhadores da região e também nas lutas nacionais da CUT e da CONTAC.

2002

No ano de 2002, Célio e os demais diretores são reeleitos para mais um mandato com quase 96% de aprovação. Essa direção tem alguns diretores novos, o mandato continua firme na defesa dos trabalhadores. Mas é neste mandato que é construído com recursos próprio a Sub-Sede de Forquilhinha e de Nova Veneza - SC, respectivamente no ano de 2004 e 2005. As Sub-Sedes além de bonitas e confortáveis, nelas são montadas escola de informática do próprio Sindicato. Servindo assim de formação para os associados e seus dependentes.

2004

No mês de novembro de 2004, dez anos após a primeira, ocorre a segunda greve forte do setor da alimentação. A greve mais uma vez ocorre na empresa Seara Alimentos (antiga Agroeliane) de Forquilhinha. Os trabalhadores cruzaram os braços por dois dias, buscando melhores condições de trabalho e salários. Foi uma greve forte, com uma ação nunca vista na região da policia militar na defesa da classe patronal, dirigentes do SINTIACR, entre eles Ademir Fernandes e Lindomar do Livramento (Passarinho) foram presos, mas em seguida liberados. Mesmo assim os trabalhadores não recuaram e tiveram êxito.

Nas eleições municipais de 2004, a direção do SINTIACR por uma necessidade de buscar a disputa de melhores projetos para os trabalhadores dentro das políticas publica, resolve lançar o companheiro Célio Elias como candidato a vereador no município de Forquilhinha – SC. Célio não se elege, alcança 264 votos, mas fica como primeiro suplente do Partido dos Trabalhadores, e segundo da coligação do PDT e PT. Como o Estatuto da entidade é muito democrático e não permite a eleição dos dirigentes mais do que dois mandatos na mesma função, no ano de 2005, Renaldo Pereira ex - secretário de Finanças nos dois últimos mandatos assume a Presidência para o triênio 2005-2008, numa solenidade muito prestigiada por vários dirigentes sindicais de todo o país. Mas o que marcou mesmo foi o grande número de trabalhadores na festa, demonstrando que o Sindicato estava no caminho certo. Renaldo junto com os demais diretores prometeram continuar a luta.

2005

O atual presidente Célio Elias, inaugura as sub-sedes de Nova Veneza e em julho Renaldo Pereira, assume a presidência do Sindicato. A eleição aconteceu em abril e teve chapa única. Nesse ano acontecem as últimas assembléias dos trabalhadores das indústrias da carne em locais fechados. As empresas decidem não liberar mais os associados para votarem e o Sindicato passar a realizar a votação nas portas das fábricas na trocas dos turnos.

2006

Em 2006, Renaldo também é eleito membro da executiva da CONTAC junto com Suzana Cavaler que assume vaga na direção. E nesse mesmo ano Célio Elias é eleito diretor na direção estadual da CUT.

Hoje o Sindicato dos Trabalhadores da Alimentação é uma entidade respeitada na região e nacionalmente. É o que mais nos orgulha é o carinho que os trabalhadores têm com o seu sindicato, prova disto é que hoje contamos com mais de 2700 associados. Os trabalhadores da alimentação sabem que somente no sindicato que ele encontra o seu maior instrumento de luta em defesa de seus interesses de classe. Parabéns a todos que lutaram para que isto tornasse realidade.

Estamos comemorando 18 anos da nossa luta na construção de um Brasil mais justo e humano. Parabéns, Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação de Criciúma e Região, por mais está conquista. Ainda escreveremos muito da nossa historia de luta em defesa da classe trabalhadora nos próximos anos, pois a luta continua.

2007

O Ministério Público do Trabalho (MPT) ,de Criciúma entra com Ação Civil Pública contra a empresa Seara-Cargil de Forquilhinha solicitando melhores condições de trabalho. A partir desse processo o Sindicato junto com o MPT lança a Campanha Nacional para a redução da jornada de trabalho as agroindústrias. A campanha toma corpo com os Sindicatos de Sidrolância-MT, Jaraguá do Sul e Confederação Nacional dos Trabalhadores da Alimentação (Contac). A partir daí se estabelece do ramo da alimentação da CUT a elaboração de um Projeto de Lei para a redução da jornada de trabalho nas agroindústrias brasileiras. A coordenação do projeto fica para o Sindicato da Alimentação de Criciúma. Nesse ano é instalada em Morro Grande a Agroindústria Tramonto Alimentos gerando 350 postos de trabalho. São fechadas as Convenções e Acordos com índices acima da média nacional chegando a 3,8% de ganho real em algumas categorias como a do arroz.

2008

O ano marca a renovação da diretoria ampliando a representação feminina na direção para mais quatro vagas. Com chapa única o atual presidente, Renaldo Pereira é reeleito com mandato até 2011. No mês de maio é construída a sub-sede própria do Sindicato em Morro Grande para atender melhor os trabalhadores da região. Esse ano além das boas campanhas no mês de maio das massas e biscoitos, panificação e arroz e outros, em outubro acontece pela primeira vez à campanha unificada das carnes em Sidrolândia e Jaraguá do Sul.Os trabalhadores do setor criam coragem e paralisam as atividades na Indústria Agrovêneto de Nova Veneza e Seara de Forquilhinha. Com essa união nunca vista no segmento a classe patronal é obrigada a atender as reivindicações dos trabalhadores. Com a unificação da campanha, a Seara-Cargil de Sodrolândia enfrenta a primeira greve. Nesse movimento ocorre a participação efetiva dos diretores Célio Elias e Jovane Eler. A greve trouxe resultados positivos aqueles trabalhadores. No dia 1º de noeembro, a fatalidade tirou a vida do Diretor-Fundador do Sindicato Lindomar do Livramento, “passarinho”, morte ocorrida em acidente de transito na Avenida 25 de julho, centro de Forquilhinha. Essa fatalidade deixou triste toda categoria. Passarinho era um dos diretores sempre presente em todas as atividades de luta de toda classe trabalhadora

SUB-SEDE TRAMONTO

2009

Chega finalmente o ano que marca os 20 anos de Fundação do Sindicato. Uma história que a cada dia orgulha ainda mais todos os trabalhadores da categoria da alimentação.Hoje o Sindicato conta com 4 mil associados,uma sede própria,três sub-sedes e uma alugada buscando assim melhor atender os seus associados.

O presidente do Sindicato Renaldo Pereira, assumiu vaga na direção da CUT Estadual no dia 04 de julho. Renaldo integra a executiva como Secretário Estadual de Organização Política Sindical com a eleição da nova direção da CUT. O mandato é de três anos.

O Presidente Renaldo Pereira, junto com demais representantes sindicais do país, protocolaram em Brasília, o Projeto de redução da jornada de trabalho e ritmo de trabalho no setor avícola.

Em função da epidemia da gripe AH1N1 o sindicato solicitou os afastamentos das trabalhadoras grávidas das três agroindústrias da região pelo menos por 15 dias, como medida preventiva pelo risco de contaminação da Gripe A.

Mais de mil pessoas entre sócios e convidados prestigiaram a festa de 20 anos do Sindicato na sede de Forquilhinha.

Sindicalistas abraçaram o Hospital Materno Infantil Santa Catarina em defesa pelo hospital público e gratuito. A manifestação fraterna e pacífica com a oração do pai nosso, não impediu a presença de viaturas da polícia militar e de reposta tática.

2010-2011

Os trabalhadores da Seara-Marfring pararam as atividades por dois dias em luta pela redução da jornada nos sábados.

Em todos os setores da alimentação nesses últimos anos o sindicato junto com a organização da categoria garantiu ganhos reais além da inflação nos Acordos Coletivos. Nas agroindústrias aconteceu ameaça de paralisação e até operação tartaruga em 2010 na Seara de Forquilhinha. A aplicação do Piso Estadual de Salário foi garantida ficou garantida para os cerca de mil trabalhadores de massas e biscoitos da região. Em maio desse ano o Sindicato negociou o plano de saúde para os trabalhadores da Agrovêneto de Nova Veneza e o Plano de Participação nos Lucros (PPL) para os trabalhadores da empresa Tramonto de Morro Grande foi discutido para ser implantado em 2012.

Em março os sindicatos protocolaram junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) de Criciúma ação contra a Secretaria Municipal de Saúde pela falta de emissão de atestados médicos aos pacientes nas unidades de saúde dos municípios.

Dois veículos da marca Vokswagem foram adquiridos pela entidade em março. São duas Space Fox Sport.GII completas, ano e modelo 2011. Os veículos foram trocados pela Parati Surf ano 2008 e modelo 2009 - 1.6 e o Gol Geração IV completo 1.0 ano e modelo 2008. O valor investido na troca foi R$ 46 mil. Ainda em março o sindicato investiu R$ 14. 100,00 na aquisição de novos computadores para escola de informática na sede de Forquilhinha.

Em abril a entidade fez ato com distribuição de panfletos para a categoria pela passagem no dia 28 de fevereiro do Dia Internacional de Conscientização sobre as doenças provocadas por Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares (DORT).

Após várias reuniões entre a direção do SINTIACR e representantes da classe patronal da indústria do arroz, foi fechado o acordo com data base 1º de maio de 2011 dia 21 de junho.Foi preciso a categoria decretar estado de greve pela primeira vez nesse setor para garantir boas conquistas.No acordo, ficou definido reajuste de 8,8% em todos os salários retroativo ao mês de maio, sendo 2,5% de ganho real;abono no retorno das férias de R$ 400,00 episo salarial após 90 dias de trabalho de R$ 865,00.A classe patronal tentou usar a crise dos produtores, para arrochar o salário dos trabalhadores nas indústrias. Mas os trabalhadores, junto com a direção do Sindicato, se mantiveram firmes e avançaram nas conquistas.

“Parabéns a categoria que sempre deu carta branca a essa direção. O resultado está ai. Foi um acordo que um “reforça” o bolso dos nossos trabalhadores. Unidos e com determinação se avança nas conquistas”, avalia a direção do Sindicato.

Plano de Participação nos Lucros (PPL) para os trabalhadores da empresa Tramonto de Morro Grande, poderá ser implantado em 2012. O assunto volta a ser debatido dia 10 de junho entre direção do Sindicato e da agroindústria. A primeira reunião aconteceu dia 06 onde entre os principais pontos destacados, foi o acordo para que a forma do repasse do PPL seja definido até o mês de outubro. No encontro participaram o presidente do Sindicato, Renaldo Pereira, o secretário-geral do Sindicato, Célio Elias e o diretor da Tramonto, Vanio Anzolin. A divisão dos lucros integra uma das cláusulas da negociação da campanha salarial de 2010 e ficou pendente para ser discutida em maio desse ano. Na opinião de Renaldo, o PPL irá contribuir na qualidade de vida e auto-estima dos trabalhadores e será uma conquista merecida e justa, pois são eles os principais responsáveis pela força de produção e faturamento da empresa. Segundo dados do IBGE a agroindústria brasileira teve expansão em 2010 de 4,7%. De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, as exportações cresceram com destaque para os setores de carne de aves não cortadas em pedaços em mais 6,4% e pedaços e miudezas de aves em mais 5,7%.

O Sindicato da Alimentação fechou acordo para a inclusão de mais quatro pausas de oito minutos na jornada de trabalho, fora do local das atividades, com a Seara-Marfrig de Forquilhinha em junho. Essa pausa será acrescida nos três turnos de produção a partir do dia 24 de julho. São cerca de 2.100 trabalhadores na empresa. “Com a medida os trabalhadores terão 32 minutos de pausas para poderem relaxar a musculação”, explica a direção do Sindicato. A jornada na agroindústria é realizada de segunda a sábado no turno II e III de 7,20hs/dia, e o I turno de 6,40hs/dia devido a redução da jornada noturna (das22h as 05h). Segundo a direção, não existe dúvida que esse acordo é muito importante, mas não é ideal e a luta por um trabalho com condições dignas na empresa precisa continuar. Estudos apontam a necessidade dos trabalhadores terem 60 minutos de pausas durante a jornada diária e redução no ritmo da produção com limitação do tempo de exposição na linha de trabalho em 36, 40hs/semanais para recuperação Psico-Fisiológica. “É essencial lembrar que as pausas devem ser usufruídas fora dos locais de trabalho, em ambientes que ofereçam conforto térmico e acústico, disponibilidade de assentos, oferta de bebidas quentes e visão para o exterior”. Dados da Associação Nacional de Procuradores do Trabalho mostram que os trabalhadores das agroindústrias possuem 743% mais chances de ter doenças ocupacionais, principalmente nos ossos e punhos, que as demais categorias. Eles são acometidos principalmente pelas Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) doenças dos ossos, músculos e tendões que afetam, principalmente, o pescoço e os braços das pessoas pelo excesso do ritmo de trabalho sem descanso apropriado do corpo.

Norma Reguladora (NR) nos frigoríficos - A implantação da NR nos frigoríficos, como força de lei, deve promover alterações na forma de atuação das empresas em relação à jornada dos trabalhadores. O Grupo de Trabalho (GT) mantém reuniões periódicas para definir a NR até 2012. Uma das principais bandeiras da NR são as pausas de 60 minutos fora das linhas de produção. “Mas enquanto não aprovamos a Norma temos que negociar com as agroindústrias formas de amenizar os graves problemas”.

Conquistou plano de saúde para trabalhadores da agroveneto.

© SINTIACR. Todos os direitos reservados.

Rua João Pessoa, 445 - Edifício Uno - 88801-530 - Criciúma/SCC

Fone: (48) 3433-9002

sintiacr_forquilhinha@hotmail.com